O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela primeira instância da operação Lava Jato, no Paraná, estendeu dedicatória ao juiz amazonense Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, ao receber ontem, em São Paulo, o prêmio de Melhor Brasileiro do Ano pela revista IstoÉ.

O fato foi registrado pelo portal UOL. Segundo a matéria, esse foi o momento de maior constrangimento na solenidade já que o presidente Michel Temer (PMDB) e seus auxiliares, diferentemente do restante da plateia, não levantaram nem aplaudiram o magistrado.

Entre outras ações, Vallisney, nascido em Benjamim Constant, mandou a Polícia Federal entrar no Senado e prender policiais legislativos que estavam atrapalhando investigações da Lava Jato, determinou a prisão do ex-ministro Geddel Lima, amigo pessoal de Temer, interrogou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e fez Lula da Silva (PT) virar réu em processos investigatórios no âmbito da operação federal.

Quando o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha quis ficar mais tempo em Brasília, onde esteve no início de novembro para ser interrogado, Vallisney não autorizou e o devolveu a Moro.

 

Leia mais

Amazonense que mandou prender Geddel fará palestra em Manaus

Juiz Vallisney faz Lula virar réu pela quarta vez

Foto: Reprodução do UOL/Jales Valquer_FotoArena_Estadão Conteúdo