O governo federal extinguiu 60,9 mil cargos públicos da administração federal considerados obsoletos ou que passaram a ser realizados através de terceirização.

O decreto veda abertura de concurso público e provimento de vagas adicionais para os cargos que especifica.

A publicação está no Diário Oficial da União (DOU), que circula nesta quarta-feira (10), por meio de decreto presidencial.

“A iniciativa contribui para tornar a arquitetura de cargos e carreiras mais adequada às necessidades atuais e futuras da administração pública”, afirmou o Ministério do Planejamento em nota.

De acordo com a pasta, entre os cargos extintos estão telefonista, editor de videotape, assistente de som, datilógrafo e digitador.

Do total de cargos eliminados pelo decreto, 37,8 mil estão vagos.

Os demais, que representam 6% do total de servidores federais, ainda estão ocupados, e serão extintos conforme forem vagando.

Atualmente, há 635 mil servidores públicos na administração federal.

De acordo com o Planejamento, além de carreiras obsoletas serão extintos também cargos que passaram a ser feitos através da contratação indireta de serviços.

Fonte: Notícias ao Minuto com Folhapress

Veja a página do Diário Oficial

 

Foto: EBC