A defesa da ex-primeira-dama do Amazonas Edilene Oliveira sustenta na mídia que ela não destruiu provas e que a denúncia de intimidação de testemunha se prendeu apenas a citação de alguém que viu um carro com insulfilme estacionado perto do Ministério Público em dia de depoimento de envolvidos na operação Maus Caminhos.

Esses dois motivos sustentaram as principais justificativas da Justiça Federal para a prisão preventiva de Edilene junto com o marido, o ex-governador José Melo (Pros).

O nome de Edilene engrossa lista de esposas de governadores que se envolveram na gestão do marido e foram denunciadas junto com eles em acusações de lavagem de dinheiro a crimes eleitorais.

A ex-primeira-dama do estado não foi a única a ser presa. Confira mais detalhes em reportagem de O Globo desta sexta, dia 12.

 

Leia mais

Imagens flagrantes do corpo de delito de Melo e Edilene no IML

Defesa aponta três erros na ordem de prisão de Melo e Edilene

Foto: BNC