A jornalista Liliane Araújo (sem partido) foi às redes sociais nesta sexta-feira defender sua entrada no governo de Amazonino Mendes (PDT). Ela foi nomeada para um cargo de secretária-executiva no Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS).

Candidata que se apresentou nas duas últimas eleições com o discurso de renovação na política, Liliane foi alvo de críticas nos comentários sobre sua nomeação.

Ela rebate os críticos dizendo que não vendeu a alma nem suas convicções, mas que apenas percebeu que é hora de “descer do palanque”.

Se defende ainda dizendo que o convite de Amazonino, em quem agora credita “boa vontade política de fazer o Amazonas dar certo”, foi um gesto de respeito à sua “ideologia”.

Em agosto, a nove dias do segundo turno entre Eduardo Braga (PMDB) e Amazonino, Liliane publicou nota oficial para dizer que não apoiaria nenhum dos dois porque eles “representam a continuidade desse velho grupo político que governa o nosso estado há mais de trinta anos e que apenas vem se revezando no poder”.

Aproveitou para criticar quem apoiou os dois candidatos porque eles não representavam “legitimamente o desejo de mudanças clamado pelo cidadão amazonense”.

Para Liliane, apoiar Braga ou Amazonino comprovava que a “nova política” que pregou na eleição “não pode ser um atributo daqueles que aderem tão rapidamente ao retrocesso”.

Ao declarar publicamente que não seguiria o “velho na política”, Liliane afirmava que o fazia em respeito aos seus eleitores, amigos e familiares.

E prometia seguir o caminho do “novo na política”, “bem distante de vícios, manobras e jogo sujo que estão acostumados a fazer para chegar e se manter no poder”.

Leia os posts de Liliane no Facebook:

Hoje

Meus amigos, minhas amigas,

Fui convidada para compor a administração do governador Amazonino Mendes como secretária-executiva do Fundo de Promoção Social (FPS) e, após conversas com amigos e familiares, refleti e tomei a decisão de contribuir com o meu Estado.

Vi no convite um grande reconhecimento as minhas propostas para a melhoria da qualidade de vida da nossa gente e notei um importante respeito a minha ideologia já que continuo sem partido. Ao longo da minha caminhada política, sinto-me muito feliz pelo fato de saber que há pessoas que acreditam no meu trabalho, e me dão agora a oportunidade de servir.

Não estou vendendo minha alma nem minhas convicções. Meu objetivo é apenas trabalhar para ajudar pessoas que precisam de atenção dos governantes e sei que de fora da gestão pública, jamais poderia fazê-lo. E vi na gestão do governado Amazonino Mendes boa vontade política de fazer o Amazonas dá certo, respeitando sempre as convicções dos membros do seu governo.

Sei que existem pessoas que não respeitam a minha decisão, mas estas mesmas pessoas não perceberam que a campanha acabou, e que precisam descer do palanque. E que não importa o lado, quando o assunto é: criar mais empregos para a juventude, melhorar a assistência médica e dar condições hospitalares, oferecer um ensino cada vez melhor e competitivo, diversificar nossa economia, para acelerar o combate à pobreza e dar um novo impulso à agricultura, enfim, trabalhar para servir cada vez melhor o povo, é isso que agora interessa.

Por fim, aqui fica a minha proposta de servir ao povo, não receio ter apontadas e criticadas as faltas que provavelmente terei. Seja quem for pode apontar as nossas falhas pois, se tiver razão, nós as corrigiremos; seguirei errando e acertando. Mas jamais escondendo a cara.

Peço ajuda de DEUS para continuar guiando meus passos e conto com a ajuda de VOCÊS para me ajudarem a dar o melhor de mim na gestão pública.

 

Há menos de três meses

Nota Oficial

2 º TURNO ELEIÇÕES SUPLEMENTARES/2017

LILIANE ARAÚJO SAI DO PPS E NÃO DECLARA APOIO A NENHUM CANDIDATO NO 2º TURNO.

Nosso trabalho cresceu nas eleições suplementares deste ano. Multiplicamos expressivamente nossa votação em relação a 2014 e 2016, num cenário ainda muito mais difícil. Agradeço a cada um dos 64.013 eleitores que destinaram seu voto ao fortalecimento das nossas propostas que construímos e defendemos juntamente com a população durante toda a campanha eleitoral.

Nosso projeto sai fortalecido das urnas, conquistando o quinto lugar em uma eleição marcada pela desigualdade da cobertura de alguns órgãos imprensa, dos erros das pesquisas, do grande poder econômico de meus adversários, do desequilíbrio no tempo de televisão, das informações mentirosas e caluniosas veiculadas nas redes sociais usando o meu nome. Nada disso teria sido possível sem o esforço e dedicação da minha pequena equipe de trabalho, dos amigos, da minha família e dos meus seguidores das minhas redes sociais que fizeram a diferença e conquistaram, com muita dedicação, esse expressivo resultado.

Cumprimos o nosso papel, apresentamos a melhores propostas para um Amazonas melhor. Defendemos uma política honesta e necessária para que se avance em direção a um Estado justo, decente e mais humano. Esta foi nossa principal missão política nessas eleições e grande parte da população amazonense avaliou que a cumprimos bem.

Tenho recebido muitas mensagens perguntando sobre quem vou apoiar nesse segundo turno. Quero dizer que desejo sorte ao próximo governador, mas entendo que os dois candidatos representam a continuidade desse velho grupo político que governa o nosso Estado há mais de trinta anos e que apenas vem se revezando no poder. Por tudo isso não é cabível qualquer apoio de nossa parte a qualquer uma das duas candidaturas. Ressalto também que o apoio a um dos dois candidatos no 2º turno pelos demais candidatos que disputaram o pleito no 1° turno, demonstra a incapacidade deles de representar legitimamente o desejo de mudanças clamado pelo cidadão amazonense e comprova que a “nova política” não pode ser um atributo daqueles que aderem tão rapidamente ao retrocesso.

Aproveito o ensejo para comunicar à sociedade amazonense em geral e a todos os meus eleitores que não faço mais parte do PPS. Minha saída ocorre por não concordar com a decisão do partido de apoiar candidato da velha política. Não consigo está inserida em um grupo onde temos que ser “cegos”, “mudos”, “surdos” e tolhidos de pensar, opinar ou divergir, Também não sei ficar sem trabalhar ou contribuir para uma sociedade mais justa. Não me intimidarei com ameaças e boatos envolvendo o meu nome. E em respeito aos meus eleitores, amigos e familiares decidi seguir o caminho mais coerente e verdadeiro para uma construção de uma nova política, bem distante de vícios, manobras e jogo sujo que estão acostumados a fazer para chegar e se manter no poder.

Vou seguir lutando, pois a população está muito angustiada com a situação financeira da família, com a falta de serviços públicos e está buscando algo no que acreditar. Conseguimos, de alguma forma, passar uma mensagem de esperança e de uma mudança verdadeira. Vou seguir minha vida normalmente como jornalista e mãe. Buscarei estreitar ainda mais a minha conversa com todos vocês. Vou continuar cobrando do poder público um serviço de qualidade para o cidadão. Vou continuar visitando as comunidades da capital e do interior, isso eu sei e gosto de fazer, isso está no meu coração. Eu gosto de gente.

Por fim, agradeço mais uma vez a todos meus eleitores que confiaram nas nossas propostas e vamos juntos para o próximo pleito.

Forte abraço e que Deus nos abençoe nessa caminhada

Liliane Araújo

 

Leia mais

Ex-candidata a governadora é nomeada secretária de Amazonino

 

“Não foi bem assim”, diz presidente do PPS sobre acusações de Liliane

 

Foto: BNC