Diferente daquilo que o governo espera do PSD na votação da reforma da Previdência, o partido não vai fechar questão para obrigar sua bancada a apoiar o texto.

Em Manaus, onde esteve nesta quinta-feira, dia 7, o presidente licenciado da sigla, ministro Gilberto Kassab, disse que a direção do PSD vai trabalhar o convencimento dos deputados e que não fará pressão sobre eles.

O Planalto, porém, está pressionando Kassab a entregar mais votos, porque os governistas estimam que a legenda só levará para a votação apenas 15 de 38 votos da bancada.

 

Foto: BNC