Prefeito de Manaus pela terceira vez, Arthur Neto (PSDB) revelou em entrevista ao portal UOL que, ao mesmo tempo em que faz fortes restrições aos nomes da legenda mais conhecidos nacionalmente, segue firme no seu propósito já anunciado de disputar as prévias para ser o candidato à Presidência da República em 2018.

Arthur tem revelado em todas as entrevistas que pretende quebrar imediatamente a hegemonia política de São Paulo sobre o partido, principalmente a polarização que vem sendo dada às figuras do governador Geraldo Alckmin e do prefeito João Dória.

O comportamento de Dória, que no último final de semana iria a Belém participar do Círio de Nazaré, é, para Arthur, jogo de cena para redes sociais.

Sobre o envolvimento de tucanos na operação Lava Jato, Arthur não separa nomes. “O PSDB causou essa decepção como um todo”, afirmou.

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), caso venha a ser eventual adversário, já pode se preparar para embates quentes. Para Arthur, trata-se de um fascista, homofóbico e sem qualificação.

Arthur defende a legalização da maconha, faz uma análise do contexto nacional e da posição do seu partido no apoio ao presidente Michel Temer (PMDB). E fala das razões para ter a mulher e o filho como servidores da prefeitura.

Confira muito mais na entrevista completa, publicado em Política/Uol Notícias.

 

Leia mais

Arthur almoça com Jereissati para tratar de prévias no PSDB

 

Arthur, “doutor em Lula”, quer ser presidente da República em 2018

Foto: BNC