Nesta segunda, dia 13, jornalistas da redação de A Crítica resolveram denunciar o que chamam de desmandos da direção da empresa no pagamento salarial dos funcionários.

Segundo informação que chegou ao BNC por uma fonte que pediu sigilo de sua identidade, a empresa vem atrasando pagamentos quinzenais e mensais. A pontualidade nos compromissos com os seus funcionários sempre foi uma virtude prezada por A Crítica e exaltada por eles mesmos.

Um deles disse que sua vintena de setembro só foi paga no último dia 1º.

A denúncia chegou ao BNC acompanhada da seguinte frase:

“Estamos precisando da tua ajuda porque passamos por situações constrangedoras”.

Segundo eles, o mesmo pedido foi encaminhado ao Ministério Público do Amazonas (MP-AM) porque os pagamentos de atrasados vêm sendo feitos de forma escalonada, do menor para o maior valor.

A gota d’água na paciência dos funcionários de A Crítica foi na manhã desta segunda porque até às 10h30 o pagamento de outubro só tinha saído para a metade dos empregados na redação.

Dizem os trabalhadores não entender a razão do atraso que vem se tornando frequente se, ao mesmo tempo, a empresa “promove festas, bazar, reformas com móveis de luxo e decoradores caros…”.

O FGTS também é outro alvo da insatisfação dos funcionários do impresso que já foi o maior do estado.

“Só depositam centavos para despistar a fiscalização. Eles descontam do salário, mas não depositam desde abril de 2016”, denunciam.

No Facebook, várias são as manifestações de jornalistas sobre a situação vivida pelos funcionários de A Crítica. Veja uma delas:

Lamentável ver colegas de A Crítica sob risco de ficarem sem pagamento do 13° salário e com salários atrasados. E a culpa é sempre da crise. Já passei por isso e posso apostar que não é. Mas espero que isso se resolva, e não que se faça como naquele outro que só sabe manter aparências e não respeita profissionais.

“Ah, lá vem falar mal, cuspir no prato que comeu, sem ética etc etc etc”. Ora, vá tomar na olhota! Quero ver jornalismo na veia com as contas atrasando e desespero batendo!

 

Foto: Reprodução/Foursquare de Silas L.