O secretário de segurança pública do Amazonas, Sérgio Fontes, e o promotor de Justiça Lauro Tavares, responsável pelo Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), eram os principais alvos de atentados a bomba arquitetados pela facção criminosa Família do Norte (FDN).

O plano foi descoberto pelo setor de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM) e obtido com exclusividade pela GloboNews, nesta quarta-feira, dia 11. Ainda segundo a emissora, os atentados seriam feitos por meio de explosivos dentro de malas deixadas no Tribunal de Justiça do Amazonas e no MP-AM.

Os coordenadores do plano eram detentos do semiaberto conhecidos como Nigéria, que estaria em posse de metralhadoras, e os presos Colt e Neguinho. O documento mostra que os agentes haviam descoberto que a rebelião que terminou com a morte de 56 presos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) era o primeiro passo de um plano muito maior do grupo.

Em 20 de outubro de 2016, o BNC publicou com exclusividade a ameaça de morte que toda a cúpula do Tribunal de Justiça do Amazonas  também estava recebendo da FDN.

“O importante é que os juízes não se intimidem”, disse à época, o presidente Flávio Pascarelli. Confira o vídeo e a matéria na íntegra no link abaixo.

Crime organizado ameaça de morte toda a cúpula do TJ-AM