Por Rosiene Carvalho, da Redação

 

O BNC apurou que o ex-secretário de Saúde Wilson Alecrim, de 72 anos de idade, preso preventivamente na manhã desta quarta-feira, 13, na operação “Custo Político”, está com exames preparatórios para uma cirurgia de câncer de próstata nesta quinta-feira em São Paulo.

De acordo com familiares de Alecrim, que estiveram na Polícia Federal agora à tarde, o ex-secretário confirmou o câncer de próstata ontem.

Os familiares disseram que os procedimentos aos quais ele se submeteu para diagnóstico da doença deixaram o ex-secretário em condições delicadas de saúde e ainda sangrando.

Os exames preparatórios para o procedimento cirúrgico marcado para janeiro, segundo esses mesmos familiares, não são oferecidos em Manaus e por isso o ex-secretário estava com viagem programada para São Paulo nesta quinta.

Os parentes de Alecrim demonstraram preocupação com a saúde dele por ser hipertenso e levaram medicamentos e aparelhos para aferir a pressão.

Segundo esses familiares, o próprio Alecrim aferiu sua pressão e a última medida, antes das 14h, indicou que a mesma está sob controle

Eles disseram também que os advogados irão recorrer contra a prisão preventiva. Consideram uma medida muito “rigorosa e desnecessária” para a condição de saúde dele e porque o ex-secretário está afastado há cerca de dois anos da função pública.

Para eles, Alecrim não teria, ainda que quisesse, como interferir na investigação e não apresenta o risco previsto na prisão preventiva.

“Ele tem endereço fixo. Se quiserem a gente entrega o passaporte. Mas prendê-lo nessa condição, há dois anos fora da secretaria e doente, é uma medida cruel”, afirmou um dos familiares que pediu para não ser identificado.

 

Operação Custo Político

 

A operação “Custo Político”  é um desdobramento da operação “Maus Caminhos” e atingiu, segundo a PF, os agentes públicos e políticos responsáveis por compactuar, proteger e até livrar os membros da organização criminosa identificada na primeira operação de fiscalização dos órgãos de controle. Os ex-secretários de Saúde presos são suspeitos de recebimento de propina.

Na operação deflagrada na manhã desta quarta-feira, 13, foram presos quatro ex-secretários de Estado do Governo José Melo: Wilson Alecrim e Pedro Elias, da Susam; Raul Zaidan, Casa Civil; e o secretário de Governo e irmão do ex-governador Evandro Melo.

Destes, todos foram presos preventivamente (sem data para serem soltos). Apenas Zaidan foi  alvo de um decreto de prisão temporária de cinco dia, podendo ser prorrogada por maior período caso  haja um pedido  deferido pela justiça federal.

De acordo com a Polícia Federal, há uma medida contra o ex-secretário de Fazenda Afonso Lobo, que não foi encontrado. A PF não divulgou se a medida contra Lobo foi de prisão, embora tenha sido esse o pedido do Ministério Público Federal.

A operação Maus Caminhos, de acordo com a PF, desarticulou uma organização criminosa que desviou, entre 2014 e 2016, R$ 100 milhões dos cofres públicos do Estado, liderada pelo médico Mouhamad Mostafa.

 

Foto: Portal OLM