O vice-governador Bosco Saraiva, na função de secretário de Segurança Pública, disse que a operação Proximidade, realizada da noite de ontem para o amanhecer deste sábado, dia 7, vai ser uma constante em Manaus.

Ele disse que essa operação inaugurou um novo momento na segurança do cidadão morador da capital, medida que vai levar também para o interior do estado, conforme determinação passada pelo governador Amazonino Mendes (PDT) em reunião com a cúpula do sistema (foto).

“E essa não é uma operação de sexta. Chegamos para dar um jeito nisso, sem distinção. Vamos botar ordem na cidade de Manaus”, afirmou Bosco.

Segundo o secretário, o sistema de segurança, atuando de modo integrado, vai realizar operações do tipo semanalmente, com reforço também na fiscalização do transporte coletivo e medidas para melhoria da iluminação pública.

“Quem estiver fazendo coisas erradas pode colocar as barbas de molho porque a polícia do Amazonas está indo às ruas”, disse.

 

A estreia

Na reunião que fez com os dirigentes do sistema de segurança logo após sua posse, no dia 4, Bosco cobrou a presença da polícia 24 horas nas ruas.

A primeira fase da operação Proximidade teve a atuação de 525 servidores do sistema, envolvendo a SSP-AM e sua secretaria-adjunta de operações integradas, Detran e as polícias Civil e Militar, além de agentes do Manaustrans (da prefeitura).

Bosco disse que a operação alcançou seu objetivo, que é devolver a sensação e a efetiva segurança da população.

As ações vão focar nas barreiras de trânsito para fiscalizar a legalidade do condutor e seu veículo, bares que funcionam até a madrugada sem alvará para isso e servindo como ponto de encontro para marginais, e as revistas em ônibus e táxis, alvos constantes de assaltos.

“É uma ação para que o cidadão de bem sinta que o policial está ao seu lado, ao seu alcance, provendo sua segurança e não dando espaço para o ilícito”, disse o secretário.

Só nesta sexta, os agentes da Proximidade abordaram mais de 4 mil pessoas e 1,9 mil veículos (96 ônibus, 953 carros de passeio e táxis e 922 motocicletas).

Quase 50% dos bares fiscalizados pela operação foram lacrados. De 76, 30 foram fechados. Seis pessoas foram presas por porte de droga e uma com mandado de prisão.

 

Foto: Divulgação/Secom