Representando a cidade de Manaus na conferência mundial do clima, a COP 23, em Bonn, na Alemanha, o prefeito Arthur Neto (PSDB) foi saudado pela Cúpula do Clima para Líderes Locais e Regionais (Iclei, na sigla em inglês) pela participação na estratégia de ampliar a discussão e a atuação da entidade em relação às mudanças climáticas globais.

“O prefeito Arthur, aqui na COP 23, reafirmou seu compromisso não somente com o Iclei, que representa os governos locais junto à ONU [Organização das Nações Unidas], mas com o desenvolvimento sustentável”, disse Rodrigo Perpétuo, que é o secretário-executivo da Iclei para a América Latina.

Ele vê em Arthur o líder que a entidade pode contar “não só no nível regional, mas também transamazônico, com todos os países andinos e que compõem a região amazônica”, afirmou Perpétuo.

Arthur defendeu na COP 23 que as mudanças climáticas globais precisam do apelo amazônico, em todos os aspectos, como na influência do homem nos eventos naturais e na valorização do desenvolvimento da Amazônia.

“Manaus pretende transformar, de fato, a Amazônia em uma questão do país. O Iclei reúne os principais líderes locais e regionais do planeta e Manaus pretende ser protagonista no apelo técnico, cientifico e político”, disse Arthur.

Segundo o prefeito, é preciso alertar o Brasil e o mundo sobre a importância de prevenir as graves mudanças climáticas globais. “Se nada for feito, a temperatura em alguns países deve chegar aos 70 nos próximos anos, impossibilitando a vida humana em um ambiente desses”, afirmou.

Arthur defende que o capital externo colabore com o papel que Manaus e o Amazonas desempenham na questão climática.

“Precisamos alertar que quanto mais nossa cidade receber ajuda para o seu desenvolvimento, mais forças estarão dando à preservação da floresta. É o que digo em todas as minhas falas: que a Zona Franca de Manaus é reconhecidamente útil para o clima do mundo pela OMC [Organização Mundial do Comércio] porque mantém a floresta em pé”, alertou.

O prefeito vai falar mais sobre a necessidade de investimentos em Manaus durante mesa de debates em que vai expor os projetos desenvolvidos na cidade em parceria com o Banco Mundial.

Nesta segunda, dia 13, Arthur vai tratar no escritório das Nações Unidas para o Clima sobre a renovação do contrato de controle das emissões de gases do efeito estufa.

Atualmente, a Prefeitura de Manaus gera créditos de carbono com o projeto desenvolvido no aterro sanitário municipal, aferido pela ONU.

 

A representação

A delegação de Manaus participou dos painéis que apresentaram questões relacionadas às mudanças climáticas no mundo, além de boas práticas de governos locais.

O grupo de Manaus é coordenado por Arthur, com participação da primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko, e dos secretários de Limpeza Urbana, Paulo Farias, e de Comunicação, Eric Gamboa.

 

Leia mais

Arthur quer ZFM reconhecida em forma de investimento externo

Foto: Divulgação/Secom