Com a adesão do Instituto de Traumato-Ortopedia do Amazonas (ITO-AM) na tarde desta quinta, dia 7, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde (Susam), fechou acordo com todas as empresas que têm dívida atrasada para receber do poder público.

O ITO-AM era o único que tinha resistido em não aceitar o parcelamento de cerca de cinco meses de atraso do pagamento pelos serviços prestados à rede estadual de saúde.

Segundo a Susam, a dívida com os ortopedistas está incluída no passivo de R$ 311 milhões deixado pelo governo anterior, de David Almeida (PSD), só com as empresas médicas e de enfermagem.

“Essa dívida, apesar de não ter sido gerada nesta administração, o governo sempre reconheceu e se dispôs a negociar desde o primeiro momento em que esta gestão assumiu, em cinco de outubro”, disse o secretário de Saúde, Francisco Deodato.

Já para as empresas que acordaram com o governo, em novembro foram liberados R$ 54 milhões.

Deodato explicou que a Susam dividiu os credores do governo em três grupos para quitar a dívida até meado de 2018.

Além das cooperativas da atividade fim, o acordo abrange as empresas da atividade meio (limpeza e conservação, segurança, alimentação entre outras) e os municípios, que dependem do repasse de verbas do governo.

 

Leia mais

Um dia depois presidente do TJ-AM suspende liminar dos ortopedistas

Ortopedistas sinalizam ao governo disposição de voltar a negociar

Foto: Divulgação/Secom