O suplente de vereador Everaldo Batista (Pros), da Câmara Municipal de Parintins, foi assassinado a tiros na manhã desta segunda, dia 22, na sua residência, no bairro Palmares.

Dois elementos em uma motocicleta se aproximaram da casa da vítima, onde também funcionaria um comércio, e um deles entrou e abordou a esposa de Batista, Suzy Marinho, de quem roubou os pertences.

Batista saía do banheiro nesse momento, por volta de 6h40, e foi agredido pelo homem que empunhava uma arma de fogo.

Entrevistada por uma rádio local, Suzy disse que o homem, antes de disparar dois tiros na direção da cabeça do vereador, falou:

“Você já roubou muito e fez muito mal para Parintins”.

A suspeita de latrocínio por fontes de Parintins ouvidas pelo BNC é menos provável do que a de pistolagem.

Em dois mandatos que exerceu (1993-1996 e 2013-2016), Batista sempre esteve ligado a questões de ocupação de terras na cidade. Foi candidato no último pleito, mas não se reelegeu.

Parintins vem sofrendo nos últimos anos com a invasão de terras, e uma das hipóteses é que o ex-vereador tenha sido vítima de seus desafetos.

Suzy contou que o marido ainda foi levado com vida para hospital próximo, o Jofre Cohen, mas morreu antes de dar entrada.

O delegado-geral da Polícia Civil, Mariolino Brito, vai deslocar uma equipe de Manaus para reforçar a apuração do crime. Por ser uma ilha, as rotas de fuga de Parintins são todas por via fluvial.

 

Leia mais

Parintins vai criar, em 90 dias, lotes para abrigar invasores de terras

Foto: Divulgação/Câmara de Parintins