Por Rosiene Carvalho, da redação

O candidato a governador Amazonino Mendes (PDT) perdeu um minuto do tempo de TV na última propaganda eleitoral da noite desta sexta-feira, dia 25, por decisão do juiz auxiliar da presidência do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) Bartolomeu Júnior.

Este tempo será usado pelo adversário Eduardo Braga (PMDB) como direito de resposta. Braga questionou parte da propaganda de Amazonino que foi ao ar na noite desta quinta-feira, dia 24.

Na propaganda, Amazonino diz que foi atacado por Braga umas “quatro mil vezes” e que a razão da conduta do adversário é que ele faz “tudo pelo poder”.

Os ataques aos quais Amazonino se refere é a propaganda de Braga, também retirada do ar pela juíza federal Jaiza Fraixe, em que o candidato pemedebista afirma que o grupo político que apoia Amazonino é o mesmo que elegeu o governador cassado José Melo (Pros).

O juiz Bartolomeu Júnior considerou os argumentos da defesa de Braga e determinou multa no valor de R$ 50 mil a Amazonino caso haja descumprimento da decisão.

” Denota-se a intenção de desqualificar a figura de
Eduardo Braga. Ademais, decerto que o horário eleitoral é o ambiente para se expor ideias e propostas,
não devendo usar o espaço arcado com erário público para ataques pessoais em flagrante desvio de
finalidade (precedentes desta Corte e do TSE), caso que se percebe nos autos”, afirma o jurista em tecnologia da decisão.

É a segunda vez que Amazonino é condenado a perda de tempo de TV para o adversário neste pleito suplementar. A primeira condenação ocorreu na semana passada, também por determinação do jurista Bartolomeu Júnior, quando Amazonino perdeu quatro minutos da campanha da TV por propaganda difamatória contra Braga.

Amazonino perde 4 minutos por campanha difamatória contra Braga