Matéria publicada hoje no site Valor Econômico, mostra a liderança dos tucanos quando o assunto é rombo das contas de campanha dos seus candidatos a prefeito. O PSDB tem seis nomes entre os  dez maiores déficits do País  e o 4º integrante desse ranking é o prefeito reeleito de Manaus, Arthur Neto, que gastou R$ 3,4 milhões a mais que do  arrecadou. O levantamento foi realizado pelo Valor  na última segunda-feira (31),  tendo como fonte o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O maior buraco entre os tucanos, e segundo em escala nacional, foi deixado por João Leite, candidato derrotado por Alexandre Kalil (PHS) no segundo turno em Belo Horizonte, que contratou despesas de R$ 9 milhões, ante uma arrecadação de R$ 3,7 milhões. Outro déficit tucano relevante das campanhas tucanas é o do futuro prefeito de São Paulo, João Doria, que era de R$ 3,4 milhões, na última segunda-feira.

O atual prefeito e candidato derrotado no primeiro turno pelo PT, Fernando Haddad, é o dono do maior déficit individual de campanha, num total de R$ 8,9 milhões – respondendo por quase todo o rombo do PT.

Confira a matéria completa no site do Valor.